DIÁRIO DE BORDO – FINAL FANTASY I (Parte 2)

Dando sequência à minha aventura, parei para conversar com um guardinha da cidade. Ele viu que os heróis carregavam cristais e mandou o grupo direto pro castelo de Cornelia para falar com o Rei. É, o nome da cidade é Cornelia, e não Cordelia como eu tinha escrito no post anterior.

Chegando ao castelo, o Rei fica em polvorosa ao ver os quatro guerreiros com seus cristais, e vê neles a realização da profecia sobre os Guerreiros da Luz que salvarão o mundo. A primeira coisa que o monarca pede para os heróis é para que salvem sua filha, a Princesa Sarah. Ela foi raptada por Garland, um antigo soldado a serviço do reino que “virou a casaca”. O Rei explica que o vilão está escondido ao norte, num lugar chamado Chaos Shrine.

Então vâmo lá cagar a pau esse cretino!

Saí da cidade com meu grupo e rumei para o norte. Ah, agora me dei conta de que ainda não apresentei os personagens para vocês! Meu grupo é formado pelo guerreiro MIKE, pelo ladrão MÃO LEVE, pelo mago branco RUNE e pelo mago negro PAULO C. Muito prazer!

Caminhando para o norte, entro na primeira briga do jogo, contra alguns goblins salteadores vagabundos que por ali vagavam. Demoli na porrada esses e mais alguns meliantes semelhantes pelo caminho.

Logo adiante, cheguei numa caverninha que o jogo identifica como sendo o Earthgift Shrine.

Lá dentro encontro um maluco que disse que não dava para seguir adiante, e realmente ele tinha razão. Reparei numa estátua esquisita aparentemente em ruínas (pode ser o cadáver de algum bicho também) por ali, mas fui embora.

Saí dessa caverninha e fui um pouco mais ao norte, onde localizei um local inóspito que tinha todo o jeito de ser o esconderijo do tal Garland. O problema é que eu fui “noob” e imaturo o suficiente para sair da cidade sem comprar nada, e então percebi que meu grupo estava sem quaisquer poções ou feitiços e que já estava todo mundo quase morrendo de tanto apanhar. Rumei desesperadamente de volta para Cornelia, sendo que só o ladrão conseguiu chegar vivo na cidade, e mesmo assim virado em farrapos. Meus outros três personagens tinham batido as botas apanhando no caminho de volta. Levei todo mundo pra tirar uma noite de sono na pousada, e só daí me dei conta do fato de que sono não restaura a saúde de cadáveres! Era preciso encontrar uma igreja para ressuscitar os pobres coitados. Finalmente, encontrei a igrejinha lá no canto nordeste da cidade. O padre picareta e explorador me cobrou 120 moedas para resssuscitar todo mundo, mas foi o jeito.

Refeito do susto, adotei o procedimento Rambo: comprei armas, armaduras, magias e poções pra todo mundo. Só aí me dei conta de como o grupo estava fracote anteriormente.

Como os recém-ressuscitados estavam com apenas 1 ponto de energia cada um, levei eles novamente pra dormir na pousada. Agora, com todo mundo com boa saúde e bem armado, saí novamente de Cornelia, disposto a arrancar as tripas do cretino chamado Garland.

Refiz todo o caminho até o esconderijo do vilão, que lembra o Castelo de Greyskull em ruínas.

Logo na entrada, dou de cara com Garland contando vantagem e parto pra cima do pescoço do cara.

Como eu estava com poções, boas armas e com feitiços de ataque para o mago negro, a luta não teve nem graça. Demoli o bandido, resgatei a princesa e levei ela de volta pro castelo.

Chegando lá, o Rei agradece aos heróis e conta para eles o resto da profecia: os quatro cristais em posse dos heróis precisam ser reenergizados para que a profecia se cumpra (eles estão “apagados” até então). Para isso, o grupo precisará seguir para o norte. A ponte próxima da cidade está em ruínas há muito tempo, mas para ajudar os heróis a cumprirem com a profecia, o Rei ordena a reconstrução da ponte.

Massa proletária trabalhando duro para cumprir as ordens do Rei vida mansa.

.

.

Ok, hora de ir para o norte então. Mas isso fica para a próxima parte do nosso Diário de Bordo!

Anúncios

2 pensamentos sobre “DIÁRIO DE BORDO – FINAL FANTASY I (Parte 2)

  1. Garland é facinho mesmo, mamão com açucar! Eu ainda tenho mania de ficar aumentando bem os níveis dos personagens para curtir melhor a história, acho que detonei o Garland em três rodadas…

    A parte que possui a estátua de um monstro é uma dungeon (muito difícil, por sinal) não-obrigatória que vai ser liberada qdo vc conseguir “reenergizar” o cristal da terra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s