Diário de Bordo: FINAL FANTASY I (Parte 1)


Depois da minha vergonhosa confissão de que o único RPG de console que terminei até hoje foi o PHANTASY STAR do Master System, resolvi agir para redimir minha honra retrogamer. Para tanto, vou encarar o desafio de jogar até o final (ou pelo menos tentar) o clássico FINAL FANTASY I, o primeiríssimo game da famosa série, lançado em 1987 para o NES.

Detalhe: a versão que vou jogar não é a original do NES, mas sim o excelente remake lançado para o Game Boy Advance em 2004 sob o nome de Final Fantasy – Dawn of Souls. Até onde sei, é um remake essencialmente fiel ao original, que apenas melhorou sensivelmente a parte gráfica e adicionou algumas dungeons novas, um bestiário e mais uns outros ganhos de jogabilidade.

A HISTÓRIA

De cara, você começa o jogo com um grupo de quatro heróis: um guerreiro, um ladrão, um mago branco e um mago negro (de magia negra, nada a ver com a cor da pele dos aventureiros!). Após dar nome a cada um deles, o jogador é apresentado à sucinta história do game.

O negócio é o seguinte: o jogo se passa em um mundo fantástico, formado por três grandes continentes. Esse mundo está envolto em trevas, com os mares em fúria e cataclismas naturais acontecendo. As pessoas aguardam a realização de uma profecia que diz que Quatro Guerreiros da Luz surgirão pra salvar o mundo desse caos, e então subitamente aparecem quatro jovens aventureiros, cada um portando uma orbe mística.

Logo após essa pequena narrativa, o grupo se encontra na frente da cidade de Cordelia. É aí que a aventura começa.

Fiquem ligados para a segunda parte do Diário de Bordo – Final Fantasy I!

Os heróis, contentes e renovados depois de uma bela noite de sono na pousada da cidade!

O guerreiro, liderando o grupo no centro de Cordelia, a primeira cidade do game.

4 pensamentos sobre “Diário de Bordo: FINAL FANTASY I (Parte 1)

  1. Excelente escolha.
    Esse é um dos meus jogos favoritos de todos os tempos da minha vida. A versão de GBA é belíssima, mas não foi só os gráficos e sons que foram modificados.

    O jogo ficou extremamente mais fácil no GBA. Várias manhas foram tiradas e os inimigos estão muito mais fáceis… por isso prefiro a original. Mesmo assim, estou torcendo por você.

    Arrasa na Redenção!

  2. Eu já joguei esse, como início da minha redenção por nunca ter jogado FF. Esse remake é ótimo, corrige vários problemas da versão original e, claro, é bem mais fácil 😀

    Sinceramente? Eu acho que não diminui a diversão não. A história é a mesma, é tudo igual. Sem a “passação de raiva” dos malditos erros de ataque na versão do NES.

    Bom jogo pra ti!

  3. Eu curto pra caramba a série Final Fantasy quando saiu o remake dos primeiro e o segundo tratei de comprar o de PlayStation e zerei na época com ajudava de revista e achei sensacional.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s