TUTORIAL – COMO EMULAR ZX SPECTRUM

Comentando o meu recente review sobre o game COMMANDO do microcomputador britânico ZX Spectrum, o Gagá (do Gaga Games, um dos melhores sites/blogs brasileiros de retrogaming da atualidade) sugeriu um tutorial sobre emulação do ZX Spectrum. Sugestão anotada e agora realizada: para quem ainda não é familiarizado com a emulação desta que é uma das plataformas mais amadas pelos retrogamers, aqui vai um tutorial bem mastigadinho sobre como se divertir com os games deste célebre microcomputador.

Para começo de conversa, você deve saber que emular games de computador geralmente não é tão fácil quanto emular games de consoles. O motivo é muito simples: nos velhos tempos, fazer os games rodarem nos próprios micros da época também era naturalmente mais complicado do que jogar nos consoles. A partir do formato estabelecido pelo Atari 2600 em 1978, os videogames sempre funcionaram do mesmo jeito: você coloca um cartucho no aparelho (ou, a partir da 5ª geração de consoles, um CD/DVD/Blu-Ray), liga o videogame e o jogo roda automaticamente (ou apenas com um um apertar de botão, como nos consoles atuais).

Double Dragon II – The Revenge (ZX Spectrum)

Os microcomputadores antigos nunca foram tão simples. Seus games vinham gravados em fitas K7 ou em disquetes, e era preciso digitar uma linha de comando na linguagem BASIC residente na memória do computador para fazer o jogo rodar a partir, digamos, do disquete onde estava gravado. Por exemplo: para rodar o game Pacmania do MSX, você colocava o disquete com o jogo no drive do computador e digitava load “pacmania.bas (ou algo parecido). A exceção eram os jogos em cartucho do MSX, que rodavam do mesmo jeito que um videogame (era só colocar o cartucho com o computador desligado, ligar o aparelho e o jogo rodava automaticamente). Mas, mesmo no MSX, os games em disquete ou fita K7 não funcionavam desse jeito barbadinha.

O ZX Spectrum, no entanto, nunca trabalhou com cartuchos. Isso quer dizer que não existem “roms” de games do Spectrum. “ROM” significa Read Only Memory, e era a memória exclusiva para leitura (não permitia gravação posterior de dados) onde eram armazenados os games nos cartuchos. Os games de Spectrum, por sua vez, existiam em formato disco (disk) ou fita (tape). É por isso que os games do micro são encontrados na internet com os mais diferentes formatos de arquivo (extensão), como por exemplo *.TZX, *.TAP e *.DSK.

The Munsters (ZX Spectrum)

A primeira notícia excelente para quem deseja se aventurar nos velhos games do ZX Spectrum é que a maior parte do acervo de jogos do micro foi transferida para o domínio público, sendo legalmente disponibilizada para download no sensacional site World of Spectrum, um verdadeiro templo sagrado para os fãs do antigo micrinho britânico. Mais de DEZ MIL games estão cadastrados no site, que ainda disponibiliza emuladores, utilitários e bases de dados de livros e informações de hardware. Se você quer se familiarizar com esse velho micro, ter o World of Spectrum salvo entre os favoritos no seu browser é algo indispensável.

Infelizmente, alguns poucos games (como é o caso do clássico Atic Atac e da famosa série Dizzy, por exemplo) ainda têm sua distribuição gratuita proibida. Como essas empresas estúpidas optam por proibir a distribuição do game sem dar alternativas legalmente corretas para as pessoas adquirerem esses títulos, a única coisa que resta a fazer, nesses casos, é dar um jeito de conseguir esses games por fontes “piratas” na internet (o que, naturalmente, é a coisa mais fácil do mundo). É uma pena que algumas empresas do setor insistam em atirar os jogadores na pirataria obrigatória, impedindo que as pessoas tenham qualquer acesso oficial (seja gratuito ou pago) a certos games antigos.

Highway Encounter (ZX Spectrum)

A segunda boa notícia é que existem formas bastante simples de emular o ZX Spectrum. De longe, a mais fácil de todas é o site http://www.zxspectrum.net, um emulador online que roda diretamente no seu browser e oferece dezenas e dezenas de games lançados entre 1982 e 1992 (inclusive alguns games “tributo” feitos recentemente por fãs do Spectrum). O emulador é incrivelmente prático e permite jogar os games do micro sem nenhum esforço: é clicar no game desejado e sair jogando! O esquema de teclas geralmente obedece o padrão tradicional do Spectrum (as teclas Q, A, O, P e a barra de espaços), mas alguns games oferecem a opção para que o jogador defina as teclas do jeito que preferir.

Batman –  The Movie (ZX Spectrum)

Claro, nem tudo são flores nesse emulador online. Existem diversos aspectos negativos: ele não roda em tela cheia, não permite salver imagens do jogo, não tem recursos de “save state/load state”, fica limitado aos games oferecidos pelo próprio emulador e só é compatível com jogos do Spectrum que tinha 48k de memória RAM, que era o modelo mais popular do velho micro britânico. No entanto, vários games de Spectrum só rodam no modelo de 128k, e vários games compatíveis com o 48k  só mostram todo o seu conteúdo (trilha sonora, por exemplo) com 128k.

Starquake (ZX Spectrum)

Outra opção de emulador online é o Qaop, no site http://wizard.ae.krakow.pl/~jb/qaop/. Ele roda com tela quase cheia e é tão amigável quanto o zxspectrum.net, mas infelizmente oferece uma quantidade muito pequena de jogos. Pelo menos estão presentes alguns clássicos como Highway Encounter, Manic Miner e Starquake.

É claro que, se você quiser conhecer a biblioteca de games do Spectrum com toda a qualidade possível (save states, podendo escolher o modelo de Spectrum emulado, etc), é necessário baixar um bom emulador e rodar os jogos direto do seu computador. É aí que começam os problemas. Existe uma infinidade de emuladores de Spectrum, que vão do horrível ao bom, mas a maioria deles apresenta um ou mais problemas sérios: uns são incompatíveis com sistemas operacionais mais modernos, outros são instáveis demais, outros não são mais atualizados há muitos anos, outros só rodam este ou aquele tipo de extensão de arquivo e outros são pobres demais em recursos.

Robocop (ZX Spectrum)

Se você é um usuário de PC acima da média e tem paciência, o negócio é experimentar diversos emuladores como Fuse, SpecX, Speccy, EmuZWin, ZX Spin e tantos outros. Talvez algum deles caia no seu gosto. Mas eu adianto a minha opinião: todos eles me decepcionaram de alguma forma, e nunca adotei nenhum como meu emulador preferencial de Spectrum.

Enduro Racer (ZX Spectrum)

Mas não corte os pulsos ainda, todas essas dificuldades têm uma solução simples: o emulador SPECTACULATOR. Disponível no site http://www.spectaculator.com, esse espetacular emulador faz juz ao nome e oferece tudo o que um retrogamer pode querer em termos de emulação de Spectrum: compatibilidade com os mais diferentes formatos de jogos, inúmeras opções de configuração de sons e gráficos, emulação de todos os modelos de Spectrum que já exitiram, recursos de save state/load state, exibição em tela cheia … uma maravilha!


Mas, como pão de pobre sempre cai com a margarina virada para o chão, é ÓBVIO que toda essa tranquilidade não vem de graça: o Spectaculator só pode ser usado gratuitamente por 30 dias, perdendo sua funcionalidade depois desse período. O jeito é comprar a versão paga, que custa salgados 30 dólares (cerca de R$ 50,00). Pagar por um emulador parece algo meio sem fundamento, mas nesse caso é bom lembrar que a vasta maioria dos games de Spectrum pode ser baixada gratuitamente sem nenhum tipo de infração de copyright, tudo legalizado. A meu ver, trata-se de um investimento que vale muito à pena.

Se você quer um emulador “offline” sem pagar pelo Spectaculator, também existem alternativas. A primeira, e mais óbvia, é baixar por aí uma versão “full” pirata do Spectaculator (não estou querendo incentivar ninguém à pirataria, mas é óbvio que a opção existe). Outra opção é recorrer a outros emuladores menos atuais e/ou eficientes.


A minha sugestão, nesse caso, seria o ZX32. Trata-se de um emulador de Spectrum que já foi muito bom, mas que caiu no esquecimento por falta de atualização (faz mais de 10 anos que não é atualizado). Apesar disso, ele tem a vantagem de ter a maioria dos recursos que o Spectaculator tem (save state, full screen, compatibilidade com muitos formatos de jogos, etc), e ainda por cima é 100% gratuito. Para que o emulador rode bem, é necessário alterar as propriedades do programa no Windows para que ele rode em 256 cores (é só clicar no arquivo executável com o botão direito do mouse e clicar em “propriedades”). Você pode baixar o ZX32 aqui: http://www.cryptacet.com/spectrum/zx32103.exe

La Abadia Del Crimen (ZX Spectrum)

Tendo um bom emulador e alguns jogos no seu computador, a execução dos mesmos é relativamente simples, semelhante ao que se vê nos emuladores de videogames como Mega Drive ou Nintendo 8-bits. Num Spectrum de verdade, um jogo em fita K7 precisava de vários minutos para ser carregado no computador, mas os emuladores geralmente abreviam automaticamente esse carregamento lento. Apesar disso, a maioria deles tem a opção de manter o carregamento original, inclusive com as listras coloridas e o barulho das informações da fita K7 sendo processadas – mas só os saudosistas mais doentes do mundo irão querer reviver esse antigo suplício. Os arquivos de games do Spectrum disponibilizados na internet normalmente já vêm configurados para apresentar um carregamento tão automático quanto possível, o que ajuda bastante e evita que o jogador precise se valer de linhas de comando para rodar os jogos.

Sai Combat (ZX Spectrum)

Por último, mas não menos importante, a dúvida para o iniciante é: o que jogar? Numa plataforma que foi agraciada com milhares de games ao longo de mais de 10 anos de vida útil, é preciso ser um pouco seletivo. Para saber o que vale à pena jogar no Spectrum, há uma série de fontes que podem ser consultadas. Uma delas, é claro, é o nosso Cemetery Games, onde até o momento nós já resenhamos uma série de grandes games do Spectrum (como Chase H.Q, Robocop, Commando, Atic Atac, Terra Cresta, Batman – The Movie, Crystal Castles e Astro Marine Corps), alguns meia-boca como Ghostbusters II e também  inevitáveis porcarias como Friday the 13th, Big Trouble in Little China, Out Run, The A-Team e Back to the Future.

Terra Cresta (ZX Spectrum)

Outra fonte confiável é a lista dos 100 melhores games de Spectrum feita pelos visitantes do World of Spectrum. A maior parte do filé do micrinho britânico está nessa lista, que pode ser acessada aqui: http://www.worldofspectrum.org/bestgames.html

Por fim, é impossível não recomendar o ótimo livro “The ZX Spectrum Book – 1982 to 199X“, de Andrew Rollings, que faz uma relação dos 200 melhores jogos do Spectrum. Você pode fazer o download integral do livro neste link: ftp://ftp.worldofspectrum.org/pub/sinclair/books/ZXSpectrumBook-1982To199xThe.pdf 

Saboteur (ZX Spectrum)

Por enquanto era isso, pessoal! Vida longa para o bom e velho ZX Spectrum, e espero que vocês tenham muita diversão com as pérolas eternamente divertidas do saudoso micrinho britânico.

Anúncios

Aviso de segurança

Caros retrogamers: como vocês já devem saber, o WordPress (servidor que hospeda o Cemetery Games) sofreu um sério ataque de hackers no começo deste mês, o que resultou em cerca de 30.000 (é, trinta mil!) blogs infectados ou avariados.

Até o presente momento, não há indícios concretos de que o Cemetery Games tenha sido atingido por algum tipo de malware ou software malicioso. Tampouco houve qualquer indicação de que o blog estaria sendo foco de ataques. No entanto, o WordPress vem se apresentando instável em algumas horas do dia, o que sugere cautela.

Recomendo que vocês mantenham um bom antivírus atualizado em permanente funcionamento no computador (sugiro o Avira, que é muito melhor do que o AVG e o Avast para esse tipo de contaminação). Nenhuma anomalia no Cemetery Games foi relatada até agora, mas se você notar qualquer problema, favor entrar em contato pelo endereço de e-mail habel@sinos.net para relatar o que constatou.

Os problemas com o WordPress têm prejudicado a atualização do blog, mas esse problema deve ser resolvido nos próximos dias.

Agora chega de alarmismo e vamos voltar para os nossos games antigos! 🙂

Reviews de games modernos: SPACE INVADERS EXTREME (2008, PSP e Nintendo DS)

Em comemoração aos 30 anos do lançamento nos arcades de Space Invaders, a Taito lançou em 2008 essa versão ultra-estilizada do clássico, que mantém a mecânica simples do jurássico game original adicionando uma dose reforçada de dinamismo e estímulos visuais, fruto das luzes multicoloridas, efeitos sonoros e design renovado de níveis.

É difícil explicar em palavras como funciona Space Invaders Extreme. Imagine-se jogando o Space Invaders tradicional num console portátil, sob o efeito de drogas, numa boate technodance repleta de luzes e música eletrônica. Ficou meio frenético, mas foi uma boa sacada da Taito, que conseguiu dar uma roupagem moderna para um game que, de outra forma, seria simples demais para os padrões atuais.

Eu conheci o jogo em sua versão para o PSP da Sony, e só posteriormente foi jogar a versão do Nintendo DS. Mas não dá para negar que o game ficou mais legal no portátil da Nintendo, graças às fases bônus e aos confrontos com os chefes de fase, momentos em que o jogo utiliza as duas telas do aparelho, deixando a ação bem mais interessante. Pelo jeito, o Nintendo DS acabou mesmo sendo adotado como “plataforma oficial” do game, já que a continuação Space Invaders Extreme 2, de 2009, foi lançada única e exclusivamente para ele.

Para os retrogamers de plantão, Space Invaders Extreme é altamente recomendável. É um dos games mais clássicos de todos os tempos, em sua roupagem mais inovadora dos últimos vinte anos.  A menos que você sofra de epilepsia ou algo parecido e sua saúde o obrigue a ficar longe dos invasores do espaço e de seu festival de luzes coloridas piscantes, esse game é obrigatório. Não perca!