SNOOPY AND THE RED BARON (ATARI 2600, 1983)

Durante a época em que tive um Atari (mais precisamente, um clone nacional – o Supergame da CCE) entre 1981 e 1992, me acostumei com jogos com gráficos “quadradões”. Haviam algumas honrosas exceções aqui e ali, mas no geral a biblioteca do clássico console de segunda geração da Atari era constituída de títulos com gráficos em baixa resolução e pouca sofisticação visual. Personagens e cenários sem grande definição eram habituais, e era gritante o contraste com os gráficos desenhados e nítidos de consoles mais modernos, como o Nintendo 8-bits (NES) e o Master System.

Então, em algum ponto do final dos anos 1980 e começo dos anos 1990, conheci este game do Snoopy. Por si só, já era uma alegria ver um dos meus personagens favoritos em um jogo de Atari. Mas não ficava só por aí. Com um visual que parecia saído diretamente das páginas dos quadrinhos ou do desenho animado, à primeira vista Snoopy and the Red Baron parecia mais um game dos primeiros dias do NES do que um jogo de Atari. Os gráficos eram nítidos, detalhados e ricos em cores. A qualidade era impressionante para os padrões do console, apresentando um Snoopy perfeitamente caracterizado enquanto encarnava um dos delírios imaginativos mais legais do personagem – o “Às da Primeira Guerra” que, usando a sua casinha de cachorro como avião, protagonizava épicos combates aéreos contra o seu arqui-inimigo, o temível Barão Vermelho.

O divertido conceito do jogo e a apresentação visual caprichada vinham acompanhados, ainda, de uma trilha sonora muito acima da média dos padrões do Atari. A excelente música da abertura do jogo (que reproduzia o tema do desenho animado) era seguida de um breve trecho da clássica “Cavalgada das Valquírias” de Wagner. Durante o jogo em si, bons efeitos sonoros de tiros, motores de aviões e explosões complementavam a ação vista na tela. Tudo isso contribuía para colocar Snoopy and the Red Baron naquela categoria de games mais bonitos do Atari, ao lado de títulos como H.E.R.O, Pitfall, Popeye, Keystone Kapers e outros. O nível de atenção ao detalhe visual era tanto que, quando Snoopy é atingido pelo inimigo, é possível identificar sucessivos furos de bala na casinha voadora do personagem.

A ação do jogo é bastante simples. A missão de Snoopy consiste em derrubar o avião do Barão Vermelho quatro vezes consecutivas, encerrando a “fase” e levando o jogador para uma tela de atualização do score obtido e dos itens coletados durante a fase. Ao longo de todo o jogo, o Barão Vermelho atira de seu avião diferentes guloseimas que podem ser apanhadas por Snoopy, incluindo sorvetes, pizzas, hamburguers, pequenos ossos e até copos de cerveja (hey, ninguém é de ferro, certo?). Após este breve descanso, o jogador é novamente colocado em uma arena de combate áreo com o Barão Vermelho, tendo que derrubar mais quatro aviões e assim sucessivamente.

Apesar da sua apresentação audiovisual impressionante para os modestos padrões técnicos do Atari, o “calcanhar de Aquiles” de Snoopy and the Red Baron era a mecânica extremamente repetitiva, que tornava o jogo cansativo e tedioso depois de pouco tempo. Ao contrário de games como Frogger ou H.E.R.O, que apresentavam fases cada vez mais desafiantes e progressivamente introduziam novos obstáculos e desafios, neste jogo as sucessivas fases não trazem surpresas nem novidades. Tão logo o jogador passa a dominar a mecânica do jogo, torna-se fácil avançar ao longo das missões idênticas por dezenas de vezes, tornando a experiência cansativa e muito menos interessante do que poderia ser.

A ampla variedade de itens coletáveis não tem outra utilidade senão fornecer uma vida extra ao jogador, o que só acontece depois de 24 itens apanhados. É um esforço prolongado excessivo para uma recompensa tão modesta, ainda mais em um jogo relativamente fácil no qual o número de vidas disponíveis está longe de ser um problema. O resultado acaba sendo um jogo com partidas bastante longas mas invariavelmente monótonas. Depois de vinte ou trinta minutos passando por dezenas de fases idênticas, é mais provável que o jogador seja vencido pela desatenção ou cansaço resultantes de puro tédio do que pelos desafios do jogo em si.

Essa ausência de uma mecânica mais sofisticada e diversificada provavelmente contribuiu para Snoopy and the Red Baron ter se tornado um jogo relativamente esquecido dentro da biblioteca de títulos do Atari. Considerando o seu divertidíssimo conceito e seus gráficos excelentes, seria razoável imaginar que este jogo poderia ter marcado época e se tornando uma referência memorável para os jogadores de Atari dos anos 1980 e para as gerações de retrogamers que se sucederam desde então. Infelizmente, ao mesmo tempo em que é uma impressionante demonstração técnica das capacidades do hardware do console, Snoopy and the Red Baron deixa a desejar enquanto jogo. Por não conseguir se manter divertido por mais do que alguns minutos, a experiência acabava sendo rapidamente esquecível.

Apesar de seus defeitos, quem jogou este game naquela época dificilmente poderá evitar o apelo da memória afetiva. Era legal demais ver Snoopy perfeitamente ilustrado em um game de Atari, voando pelo céu com sua casinha e trocando tiros com o Barão Vermelho. A forma brilhante como o conceito foi transposto para um jogo de Atari, com grande qualidade audiovisual, é motivo suficiente para que o jogo ainda mereça uma conferida casual, mesmo depois de passados quase quarenta anos desde o seu lançamento. Snoopy and the Red Baron é um daqueles títulos que comprovam que, nas mãos de programadores habilidosos, o bom e velho Atari era capaz de coisas impressionantes e que iam muito além do que a própria fabricante do console imaginava possível quando lançou o aparelho no mercado em 1978.

Um pensamento sobre “SNOOPY AND THE RED BARON (ATARI 2600, 1983)

  1. Gosto muito deste jogo também. Realmente a analogia é ótima. Parece mesmo um game dos primeiros dias do NES! O jogo é um tipo de 1 contra 1. Se pelo menos tivesse mais oponentes para destruir, nem precisava fazer fases a mais. Por isso acho que ele ficou repetitivo. Só o Barão e sempre a mesma tela de ação. Mesmo assim. Snoopy do Atari é um jogo que está entre meus favoritos. Abração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s