AS ÚLTIMAS NOVIDADES GAMERS DO NATAL … DE 1981/1982!

E aí, pessoal! Como estão? Eu sou o Fantasma do Natal Passado e resolvi dar uma pequena contribuição aqui para o Cemetery Games!

O Natal de 2020 se aproxima. Apesar de todo o caos instaurado pela pandemia, foi um ano marcado por vários games legais. Pena que este final de ano provavelmente será lembrado pelo fiasco do problemático lançamento de Cyberpunk 2077, que saiu completamente bugado nas versões para consoles e cujo futuro decente no PS4/Xbox One ainda é muito incerto.

Mas enfim, chega de falar de 2020. O que estava rolando nos natais de antigamente? Imbuído do melhor espírito natalino retrogamer, resolvi pesquisar o que a cena gamer reservava para o público lá nos idos de antigamente.

A nossa viagem no tempo começa em dezembro de 1981 e … bem, pra ser sincero, não tinha muita coisa excitante acontecendo em termos de videogames naquela época. Boa parte dos melhores games do Atari 2600 (o console dominante da época) ainda não haviam sido lançados e os computadores domésticos ainda estavam em um processo gradativo de popularização. No Apple II, o jogo no topo das paradas era Castle Wolfenstein, o “avô” espiritual da franquia iniciada com o clássico Wolfenstein 3D de 1992.

O clássico micro britânico ZX Spectrum ainda não havia sido introduzido no mercado, mas o seu antecessor ZX 81 despontava nas paradas com QS Defender, QS Asteroids, Star Trek, The Damsel and the Beast e Volcanic Dungeon.

Nos cinemas, o hoje lendário Mad Max 2 marcava a sua estreia mundial. Nas paradas musicais, a Human League emplacava Don’t You Want Me.

Seguimos para 1982 e, aqui, a coisa fica mais interessante. Para começo de conversa, em dezembro de 1982 tivemos o lançamento do clássico River Raid, indiscutivelmente um dos melhores games do Atari 2600 em todos os tempos. A gente já analisou River Raid a fundo aqui no Cemetery Games, confira: https://cemeterygames.com/2009/04/09/river-raid-atari-2600-1982/

Dezembro de 1982 também contou com o lançamento nos arcades da primeira continuação do clássico Donkey Kong: Donkey Kong Jr. Se no game original o jogador enfrentava Donkey Kong, dessa vez o personagem principal era o filho do DK, buscando resgatar seu pai das garras do vilão que o capturou … Mario! É, AQUELE Mario que você está pensando mesmo. Até hoje, Donkey Kong Jr tem a distinção de ser o primeiro e único jogo do planeta no qual Mario é o vilão.

Em dezembro de 1982, o ZX Spectrum já estava no mercado – mas ainda estava longe de ser agraciado com os grandes games que todos nós amamos e lembramos com saudades. No top das paradas do ZX Spectrum, estavam alguns dos games das primeiras fornadas da plataforma, como Escape, Mazeman, Spectral Invaders, Meteor Storm e Niteflight. Nada de memorável. Mazeman, que era essencialmente um clone genérico do clássico Pac-Man, também era o game mais vendido do ZX 81. No computador VIC-20 o jogo que estava em primeiro lugar em vendas era o adventure texto Adventureland.

Bom, era isso. Não aconteceu mais nada de importante no mundo dos games em dezembro de 1982 e …

Ok, isso não é verdade.

Tem mais uma “coisinha” que aconteceu. Eu não queria entrar no assunto porque até hoje se trata de um dos maiores traumas da indústria dos videogames em todos os tempos, mas precisamos ter a coragem de lidar com o elefante na sala. No caso, um elefante que veio de outro planeta.

O Natal de 1982 é marcado pelo lançamento do lendário, notório e infame E.T – The Extra-Terrestrial para o Atari 2600.

Programado às pressas (com a imposição absurda de um prazo insano de apenas cinco semanas) por Howard Scott Warshaw (que também foi o responsável por Yar’s Revenge e Raiders of the Lost Ark, ambos do Atari 2600), o jogo foi um fracasso monumental odiado pelo público e pela crítica. Considerado por muito tempo como sendo simplesmente o pior game de todos os tempos, até hoje E.T é considerado como um dos fatores que levou o mercado ao histórico “crash” de 1983 – um evento que quase sepultou a indústria de videogames para todo o sempre.

O jogo era mesmo assim tão ruim? Depende. O conceito do jogo era interessante, os gráficos bem trabalhados e a tela de abertura era uma das melhores já vistas no Atari 2600 (talvez A melhor). O problema é que o jogo, feito à pressas, foi lançado no mercado de forma prematura, com sérios problemas de jogabilidade e polimento. Como o caso de Cyberpunk 2077 bem ilustra, esta continua sendo uma lição que ainda não foi devidamente aprendida pela indústria, mesmo depois de quase quarenta anos! Com alguns meses a mais de revisão, acabamento e “debugs”, o E.T do Atari poderia ter sido um grande game. Infelizmente, não foi o que aconteceu e o produto lançado nas lojas era aborrecido, frustrante e irritante – sobretudo para um jogo voltado principalmente para o público infantil.

Comercialmente, por conta do apelo do sucesso do filme, o jogo vendeu muito bem. Com 1,5 milhão de cópias vendidas, ele se tornou o quinto jogo de Atari 2600 mais vendido da história. Soa impressionante, não? O problema é que a Atari (imaginando que o jogo quebraria todos os recordes) produziu uma quantidade absurda e excessiva de cartuchos e inundou o mercado com eles. Com a terrível recepção da crítica e do público, a Atari ficou com 3 milhões de cartuchos encalhados nas mãos – e isso depois de ter gasto uma fortuna pelos direitos de uso do nome e imagem do filme e de seus personagens.

O lançamento de Cyberpunk 2077 pode ter sido um fiasco histórico, mas realmente nada pode se comparar ao desastre mítico do E.T do Atari, que permanece sendo o desastre do Titanic do mundo dos videogames.

Seria isso por enquanto, meus queridos amigos retrogamers. O Espírito do Natal Passado vai descansar um pouco, mas a nossa viagem no tempo continuará nos próximos dias, quando iremos ver o que rolou nos natais de 1997 e 1998. Não percam!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s