DEMONIA I (1986, MSX)

Imagine um jogo no qual você encarna um barbudo só de cuecas, que adentra um cemitério repleto de demônios e mortos-vivos que saem das sepulturas. “Peraí“, você provavelmente dirá. “Eu sei que jogo é esse, é Ghosts ‘n Goblins, o velho clássico da Capcom“. Errado: é DEMONIA I, um game francês lançado em 1986 para o MSX pela softhouse Microids, que imita o famoso game de terror da Capcom na cara dura, sem a menor vergonha.

No entanto, antes de atirar tomates em Demonia I, leve uma coisa em consideração: apesar de o MSX ter sido um microcomputador sensacional nos anos 80 e de ter contado com uma biblioteca de games invejável, a plataforma foi uma das únicas que jamais recebeu uma versão de Ghosts ‘n Goblins (e nem da continuação, Ghouls ‘n Ghosts). Lançado originalmente nos arcades em 1985, Ghosts ‘n Goblins fez a alegria de proprietários de Commodore 64, Amiga, ZX Spectrum, Amstrad CPC, Atari ST, IBM PC e Sharp X86000 (sem falar da versão do NES, o então super-popular videogame da Nintendo). No meio dessa infinidade de micros, quem tinha MSX ficou chupando o dedão.


É nessas condições que Demonia I ganhou espaço entre o público do MSX. Aqui no Brasil, era muito comum que os fornecedores de software pirata (a indústria de software oficial para MSX era bastante reduzida) vendessem Demonia I como sendo “a versão de Ghosts ‘n Goblins do MSX“. Eu mesmo, ali por volta de 1993, fui comprar uns jogos com um “pirateiro” de Porto Alegre e, perguntando por Ghosts ‘n Goblins, ele me respondeu que “o nome do jogo no MSX era Demonia“.


Bobagem, é claro. Embora copie desavergonhadamente muitos elementos do clássico da Capcom, Demonia I não é uma conversão de Ghosts ‘n Goblins para MSX. Aliás, o jogo só é extremamente parecido com Ghosts ‘n Goblins no visual da primeira fase. Nas duas fases seguintes (sim, Demonia I só tem três fases), as diferenças se tornam mais evidentes.


Aliás, é até um sacrilégio dizer que Demonia I “se parece com Ghosts ‘n Goblins“. Vamos ser sinceros: os únicos méritos de Demonia I são a ambientação legal e os gráficos caprichadinhos. A jogabilidade é tão tosca que não dá nem para explicar em palavras, só jogando mesmo para sentir. Os efeitos sonoros são péssimos, a música é inexistente e os ataques do “herói” se limitam a uma seta gigante que sai do peito dele. A jogabilidade vacilante acaba tornando o jogo mais difícil do que deveria ser (embora o design miserável de fases seja feito para ralar o jogador mesmo), e é por isso que pouca gente chegava no fim de Demonia I, apesar de o jogo se limitar a três fases relativamente curtas (o jogo inteiro não tem mais do que umas 30 telas diferentes).


O que Demonia I roubou de Ghosts ‘n Goblins: um herói barbudo seminu; a primeira fase ambientada em um cemitério; um demônio vermelho que aparece sentado no meio das fases; o fato de o protagonista virar um esqueleto quando morre e … acho que é isso.

O que Demonia I tem de original: uma jogabilidade horrorosa; apenas três fases curtas; um monte de frutas espalhadas ao longo de todas as fases; uns pinheiros cretinos que são difíceis de derrotar; algumas demoníacas mulheres seminuas que tentam agarrar o herói e tirar energia dele (fica a dúvida sobre o quê exatamente isso significa); morcegos azuis com cabeças desproporcionalmente grandes e mortos-vivos cujos rostos lembram o Super Mario sem o boné. Para não falar, é claro, do último chefão: um bizarro lagartão bípede (!!).

Enfim, Demonia I simplesmente não era grande coisa. Mas os gráficos eram legais, e tinha um cara caminhando à noite num CEMITÉRIO com zumbis SAINDO DAS COVAS!!! Entendeu o apelo da coisa, né? A frustração vinha rápido, mas por alguns segundos a gente quase acreditava que tinha tropeçado num bom clone de Ghosts’n Goblins.

Uma curiosidade: embora esse game se chame Demonia I (e tenha o subtítulo L’Intrusion numa das telas de abertura), até hoje não consta que alguém já tenha ouvido falar de um Demonia II. Pelo título, ficamos com a impressão de que os produtores do jogo tinham a intenção de lançar continuações. Porém, a julgar pelo completo esquecimento e anonimato no qual caiu essa pobre imitação de Ghosts ‘n Goblins, não me parece provável que um Demonia II venha a surgir algum dia, a menos que algum fã doentio e psicopata resolva investir algumas horas de programação para nos submeter a tal desprazer.


Curiosidade adicional: em 2008, a injustiça contra os MSXzeiros foi corrigida, e o MSX finalmente ganhou uma versão de Ghosts ‘n Goblins (na verdade, a versão do ZX Spectrum foi convertida para o MSX por fãs). Confira em http://www.caetano.eng.br/MSXPage/gngoblins/

Anúncios

4 pensamentos sobre “DEMONIA I (1986, MSX)

  1. Mais um texto bacana.

    Realmente, “Demonia” era (por alguns segundos) a versão de “Ghosts ‘n’ Goblins” para o MSX. Mas bastava passar da primeira tela para entendermos que não seria exatamente o que esperávamos.

    Mas, no meu caso, quando fui requisitar “Ghosts ‘n’ Goblins” para meu “pirata de plantão”, fui agraciado com este jogo:

    http://www.generation-msx.nl/msxdb/softwareinfo/3357

    O nome do jogo é “Ghost”, tem a mesma temática de “Ghosts ‘n’ Goblins” e “Demonia” e é muito tosco, mas enfim…

    Ainda, havia um projeto de “remake” de “Ghosts ‘n’ Goblins” para o MSX, desta vez fazendo real uso das capacidades do computador, ao invés de uma conversão do Spectrum. Eu testei algumas versões “demo” deste remake e, embora só tivessem um trecho da primeira fase completo, parecia muito promissor. Mas até onde sei, o projeto parou. Uma pena.

    Enfim, ótimo texto de um jogo peculiar.

  2. Só para complementar meu comentário anterior:

    Quem quiser testar a versão “demo” do projeto de remake de GnG para MSX, pode baixar o arquivo no link abaixo:

    http://www.4shared.com/file/CBuglr2m/Ghostsn_Goblins__tech-demo_6_.html

    O arquivo pode ser usado em qualquer emulador de MSX (o requisito mínimo é emular um MSX 1.0). Repito: é uma versão “demo”, tem apenas um trecho da primeira fase. Mas dá uma idéia do que o MSX seria capaz de fazer.

  3. Pingback: Comemorando o HALLOWEEN! |

  4. Pior a minha versão era pirata da pirata…. ela se chamava Demonia II O_o
    detalhe, era o MESMO jogo, Demonia 1, mas com um bug que randomicamente a “demonstração” bugava e vc podia então controlar o personagem. (naquela parte que ele fica parado tacando setas no nada).
    Pelo menos é o que estou vendo pelas imagens, é o mesmo jogo o.o

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s